sexta-feira, 25 de maio de 2018

Estilo Moda Pernambuco lança sua terceira edição no Recife

Programação conta com a participação de grandes nomes do mundo da moda, como os estilistas Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga
“Moda e sustentabilidade” foi o tema escolhido para a terceira edição do Estilo Moda Pernambuco (EMP), que vai acontecer de 26 a 30 de julho, em Santa Cruz do Capibaribe. A temática e os destaques da programação foram apresentados na última quinta-feira, 24, para empresários, autoridades e formadores de opinião no evento de lançamento, realizado no Marco Pernambucano da Moda, no Recife. O EMP 2018 vai contar com desfiles de marcas do Polo de Confecções de Pernambuco e de outros representantes da moda pernambucana, além de oficinas e palestras sobre moda e negócios. O destaque será a participação dos estilistas Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga.

Segundo o síndico do Moda Center, Allan Carneiro, a expectativa é que essa edição do EMP seja ainda maior e melhor do que as anteriores. “Com certeza será um evento marcante, que vai divulgar bastante o Polo de Confecções, trazendo informação, agregando valor e gerando resultados comerciais. Teremos grandes nomes do mundo da moda e do empreendedorismo do Brasil, debatendo temas relevantes, além de capacitações, para ajudar os empreendedores do Polo a crescerem ainda mais”, detalha. 


Ele contou que a escolha da sustentabilidade como tema pela comissão organizadora do evento buscou enfatizar a importância do assunto na atualidade. “Queremos discutir sustentabilidade de forma ampla, para a cadeia da produção da moda como um todo. Nosso intuito é debater formas mais limpas de produzir e o futuro do polo enquanto gerador de empregos e renda, diante da tendência mundial de mudanças no perfil do consumidor e na forma de aquisição de roupas, acessórios e calçados”.


A abertura do evento, na quinta, 26 de julho, contará com a participação do estilista Alexandre Herchcovitch numa conversa em formato de talk show, mediada pelo estilista e professor de moda do Senac Pernambuco Luiz Clério. O tema será “Novos comportamentos de produção e consumo de moda”. Na sexta (27), o estilista Ronaldo Fraga ministra a palestra “Moda: bandeiras para o vestir”. O mineiro, conhecido por romper os limites do vestir para além da própria moda, discorrerá sobre moda brasileira, indústria e processo de criação.


Alexandre Herchcovitch foi um dos primeiros estilistas a expandir suas criações além do mercado têxtil, criando calçados para a Democrata, joias para a Dryzun, meias e cuecas para a Lupo, fundos de tela de telefones celulares para a Motorola, sandálias para a Melissa, cadernos para a Tilibra e óculos para a grife brasileira Chilli Beans. Além disso, firmou parcerias de sucesso com a C&A. As criações de sua marca homônima (da qual anunciou seu desligamento em 2016) foram apresentadas nas capitais de moda internacionais, como Paris e Nova York. No currículo, também há marcas renomadas, como Cori, Zoomp e Ellus. 

Eleito um dos sete estilistas mais inovadores do mundo pelo Design Museum, de Londres, Ronaldo Fraga foi o primeiro representante da moda brasileira a receber a medalha da Ordem do Mérito Cultural. Também recebeu a Medalha da Inconfidência pelo governo de Minas Gerais por seu trabalho. Suas criações já foram apresentadas em diferentes países, como Japão, Holanda, Espanha, Uruguai, Bélgica, Chile, Argentina, México, Angola. Sua marca está licenciada em mais de mil diferentes produtos no Brasil para empresas como O Boticário, Tok&Stok, Malwee, L'Occitane e Chilli Beans, entre outras.


Haverá também espaço para três desfiles conceituais. O santa-cruzense Jorge Feitosa, que foi destaque no reality show “Caixa de Costura”, do GNT, e atualmente está radicado em São Paulo, apresenta sua mais recente coleção, intitulada “Cheidepraquêisso”, que também traz a temática da sustentabilidade. “Em praticamente, todas as empresas em que trabalhei, recebi a tarefa de transformar algum artigo que estava escondido num estoque, em um produto para a venda, com o intuito de liquidar com a matéria prima parada. Isso acontecia com tecidos, aviamentos, etiquetas ou ferragens. Esse, é o ponto de partida para a coleção: pensar sobre o que me leva, em meio a tanta discussão sobre o que se fazer com os resíduos, focar a minha atenção no porquê da sobra”, detalha Feitosa. A Multimalhas e a Faculdade Senac também trazem suas criações.

Veja mais fotos na galeria abaixo: 






Nenhum comentário:

Postar um comentário