terça-feira, 2 de julho de 2019

Entidades discutem soluções para minimizar prejuízos causados por interdição de ponte em Santa Cruz



Na manhã desta terça-feira (2), estiveram reunidos representantes do Moda Center Santa Cruz, da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), da Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe (Ascap) e da Prefeitura Municipal, além da deputada estadual Alessandra Vieira (PSDB).

A reunião, que aconteceu na sede do Poder Executivo, teve como pauta a interdição da conhecida ponte velha há pouco mais de 30 dias, sendo que esta faz parte de uma das principais rotas que levam ao centro comercial de Santa Cruz do Capibaribe.

Durante a reunião, foram apresentados laudos técnicos da equipe de engenharia da prefeitura (feitos a pedido da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil) e um ofício da Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), que atestam a necessidade de interdição imediata da ponte, que pertence ao Governo de Pernambuco.

Também foram apresentados pelo presidente da CDL, Bruno Bezerra, números de uma pesquisa que apontou uma queda de 60% nas lojas do centro da cidade.


“O impacto com essa interdição é algo muito grande. Nos sentamos e conversamos, com foco de buscar soluções que possam viabilizar esse projeto de recuperação ou construção dessa nova ponte, assim como de medidas emergenciais que possam amenizar esses efeitos negativos da interdição e devolver esse fluxo ao Centro”, pontuou Bruno. 

Representantes do Moda Center, incluindo o síndico José Gomes Filho, participaram das discussões, onde foram sugeridas formas de como o parque, como entidade representativa, poderia contribuir nessa cobrança junto ao Governo do Estado.


“Essa é uma pauta muito importante, já que essa interdição está atrapalhando, e muito, o nosso comércio. Precisamos juntar forças para que possamos, junto aos poderes constituídos, buscar uma solução o mais rápido possível para que todos possamos sair ganhando. Nós, como Moda Center, estamos dispostos a ajudar no que for preciso”, disse José Gomes Filho.

Ao final do encontro, ficaram definidas algumas ações que serão tomadas nos próximos dias. 

A primeira é uma reunião com mais entidades, de modo a fortalecer a cobrança ao Governo do Estado; a segunda é um estudo de viabilidade por parte da prefeitura, para que uma passagem molhada seja construída de modo a devolver o trânsito às ruas do Centro, além de um reforço da deputada na cobrança junto às instancias estaduais.


“Vamos tomar as providências necessárias para que os comerciantes sejam penalizados o mínimo possível com essa interdição. Não é uma questão só minha, já que o estado admite também que a ponte é de sua responsabilidade; mas que ele também tem que nos ajudar a solucionar esse problema que está afetando nossos comerciantes”, concluiu o prefeito Edson Vieira (PSDB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário