sábado, 27 de junho de 2015

Muitas explicações, cobranças, ausências de prazos e previsão de mais reuniões dominaram pauta sobre a BR-104

Plenário ficou lotado e cinco cidades do Polo foram representadas. Fotos: Thonny Hill.
Na tarde desta sexta-feira (26) foi realizada mais uma audiência pública em Santa Cruz do Capibaribe.

Provocada pelos vereadores oposicionistas Fernando Aragão (PROS) e Deomedes Brito (PT) a audiência, que foi realizada na Câmara de Vereadores, tratou sobre a paralisação das obras de duplicação da BR-104.

Estiveram presentes representantes do DNIT, o senadores Humberto Costa (PT) e Douglas Cintra (PTB), o prefeito Edson Vieira (PSDB) e o vice-prefeito Dimas Dantas (PP), o ex-deputado federal José Augusto Maia (PROS), vereadores de Oposição e Situação, o síndico do Moda Center Allan Carneiro, o presidente da Ascont Paulo Nascimento, o diretor da Ascap Vanderson Rodrigues, empresários, autoridades políticas e de imprensa que representaram os municípios de Toritama, Brejo da Madre de Deus, Jataúba, Taquaritinga do Norte e Vertentes e o público em geral, que lotou o plenário.
.
Autoridades que fizeram uso da palavra na audiência.
.
.
.
Após cada uma das autoridades que compuseram a mesa fazerem suas considerações e questionamentos sobre a paralisação das obras, tendo como pontos em comum os prejuízos financeiros no escoamento de mercadorias e aos clientes que frequentam o Moda Center e o Parque de Feiras de Toritama, o grande número de acidentes, a falta de prazos para o reinício das obras e a má conservação de trechos que já estão concluídos, foi aberto o espaço para que os representantes do DNIT falassem sobre a atual situação burocrática quanto a paralisação.

Confira os principais pontos da audiência

Desconhecimento da importância da BR-104 pelo DNIT

Fabio Nunes representou a esfera nacional do DNIT.
Fábio Nunes, coordenador geral do DNIT (em Brasília), alegou que não conhecia a real situação da importância da via para o Polo de Confecções e admitiu que a duplicação já está atrasada tempo demais e que será vista com maior prioridade.

A afirmação veio após a veiculação de um vídeo com imagens aéreas da BR-104, que mostravam o grande engarrafamento e a dificuldade de compradores chegarem ao Moda Center e ao Parque de Feiras no período de maior movimento registrado no ano, que são as feiras do mês de dezembro.
.
Vídeo mostrava o longo congestionamento na chegada a Toritama...
.
... que segue na PE-160 até o Moda Center.
.

Tempo de conclusão do trecho que falta

Gráfico mostra o custo total da obra e que mais de R$ 77 milhões ainda faltam ser empenhados.
Ainda de acordo com os representantes do DNIT, caso as obras fossem retomadas hoje, seriam necessários entre 12 e 18 meses para que o trecho entre as cidades de Toritama e Campina Grande (PB) fosse, enfim, concluído.

De acordo com o senador Humberto Costa, o custo das obras seriam de, no mínimo, R$ 77 milhões.


Prejuízos estimados no Polo

Síndico no Moda Center falou sobre prejuízo estimado de comerciantes devido à falta da duplicação.
Um dado que chamou a atenção foi a estimativa de prejuízo que os comerciantes tiveram, em dezembro de 2014, em virtude da demora dos clientes em chegarem ao Moda Center e ao Parque de Feiras.

De acordo com Allan Carneiro, cada veículo passou aproximadamente cinco horas no trecho não duplicado. Numa conta rápida, somando os 150 mil clientes que perderam cinco horas de compras, se cada um tivesse comprado R$ 200 nesse período, os dois centros teriam faturado R$ 30 milhões a mais somente naquele dia.

Allan disse ainda que, além do prejuízo financeiro, muitos dos clientes que vieram ao Polo de Confecções no dia 08 de dezembro voltaram para suas cidades com uma péssima imagem das nossas rodovias e que, dificilmente, retornarão ao polo durante uma alta temporada do comércio.

O síndico também ressaltou a geração de renda nas cidades do polo, citando como exemplo o crescimento em 15% no número de empresas que se formalizaram de 2013 a 2014.

Vale ressaltar que esses números mostram um crescimento maior do que a média estadual e nacional.

As primeiras medidas


De acordo com Fábio Nunes, coordenador geral do DNIT em Brasília, a primeira medida imediata consiste no recapeamento dos trechos que apresentem maiores problemas de conservação. O recapeamento será feito pela empresa responsável pela manutenção da via e deverá começar nos próximos dias.

Já a segunda medida seria uma reunião entre representantes do Governo do Estado e do DNIT para discutir quem será o responsável pela execução das obras quando acontecer a retomada, ainda sem data.

A reunião está prevista para acontecer daqui a 15 dias.

Não falta dinheiro para as obras, afirma DNIT


De acordo com Fábio Nunes, não falta dinheiro para dar continuidade ao trecho que ainda falta da duplicação, mas que problemas no convênio com as empresas responsáveis pelas obras (que se envolveram em escândalos de corrupção) fizeram com que elas fossem descontinuadas e os contratos encerrados.

Ainda de acordo com ele, uma nova licitação terá que ser aberta, sendo que isso só será possível quando houver a definição de quem vai ficar responsável pela execução do projeto, se o DNIT ou o Governo do Estado.

A criação de um Comitê Gestor para fiscalização das obras


Durante a audiência, o prefeito Edson Vieira propôs que fosse criada uma comissão para acompanhar essa reunião.

Essa comissão seria formada por representantes de cidades do Polo como prefeitos, vereadores e entidades da sociedade civil.

Fernando Aragão, que presidiu a audiência, foi mais além e propôs que, ao invés da comissão, fosse criado um Comitê Gestor para fiscalizar os trabalhos, tendo os mesmos representantes da comissão e também do senador Humberto Costa.

A ideia foi aceita e, de acordo com o prefeito, uma reunião em Recife será realizada com o Secretário de Transportes de Pernambuco, Sebastião Oliveira, para “amarrar” as ideias da reunião posterior com o DNIT, já com o Comitê Gestor.
.
Público que lotou o plenário
Fonte: Blog no Ney LIma

Nenhum comentário:

Postar um comentário